Monthly Archives: maio 2017

UE multa Facebook por informação incorreta na compra do WhatsApp

A Comissão Europeia anunciou nesta quinta-feira uma multa de 110 milhões de euros (120 milhões de dólares) ao Facebook por apresentar informação ‘incorreta ou enganosa’ à União Europeia (UE) sobre a compra do Whatsapp

A Comissão Europeia anunciou nesta quinta-feira uma multa de 110 milhões de euros (120 milhões de dólares) ao Facebook por apresentar informação “incorreta ou enganosa” à União Europeia (UE) sobre a compra do WhatsApp.

“A decisão de hoje envia um sinal claro às empresas de que devem cumprir com todos os aspectos da regulamentação da União Europeia sobre fusões, incluindo a obrigação de apresentar informação correta”, afirmou a comissária europeia para a Concorrência, Margrethe Vestager, em um comunicado.

“A Comissão deve poder tomar decisões sobre os efeitos das fusões na concorrência com pleno conhecimento dos fatos exatos”, completou.

“Esta é a maior multa imposta em um procedimento de infração sobre uma fusão”, afirmou um porta-voz do Executivo comunitário, Ricardo Cardoso, para quem a multa é “proporcional e dissuasiva”, pois levou em consideração a cooperação do Facebook no processo.

Os reguladores da UE aprovaram em outubro de 2014 a aquisição do Whatsapp pelo Facebook com um preço final de 22 bilhões de dólares, considerando que não havia razão para acreditar que teria um impacto sobre a concorrência no crescente setor das redes sociais.

A decisão desta quinta-feira não muda nada na autorização de compra, segundo o Executivo europeu.

O Facebook reagiu de modo imediato: “Atuamos de boa fé desde nossas primeiras reuniões com a Comissão Europeia e tratamos de apresentar informação exata a cada vez”.

“O erro que cometemos nos documentos proporcionados em 2014 não era intencional e a Comissão confirmou que não teve impacto no resultado da análise da fusão”, afirmou o porta-voz do Facebook, Aled Williams, à AFP.

“O anúncio de hoje encerra o caso”, completou.

Em seu comunicado, a Comissão recorda que a regulamentação sobre fusões exige que as empresas apresentem informação essencial exata para possibilitar sua análise.

O texto destaca que quando o Facebook notificou a Comissão sobre a compra, em 2014, a empresa informou que “não poderia estabelecer um vínculo automático confiável entre as contas dos usuários do Facebook e as contas dos usuários do Whatsapp”.

“No entanto, em agosto de 2016, o WhatsApp anunciou uma atualização das condições de sua política de serviço e de privacidade, incluindo a possibilidade de vincular os números de telefone dos usuários do WhatsApp com as ‘identidades’ dos usuários do Facebook”, recorda.

A Comissão descobriu que, ao contrário das declarações do Facebook em 2014, a empresa tinha sim, então, a capacidade técnica para vincular os dados dos usuários das duas redes sociais, indica o comunicado.

https://br.noticias.yahoo.com/ue-multa-facebook-informa%C3%A7%C3%A3o-incorreta-compra-whatsapp-120014773–finance.html

 

 

Empresa antivírus preocupada por eletrodomésticos conectados à Internet

Televisores, sistemas de áudio, máquinas de café e brinquedos estão entre os aparelhos vulneráveis

A empresa de segurança informática Avast, com sede em Praga, advertiu nesta quinta-feira sobre possíveis ataques contra aparelhos eletrodomésticos conectados à Internet, realizados por hackers que atacam os roteadores das casas, uma ameaça maior para os consumidores.

“É algo trivial. O que o usuário deve fazer é tirar o roteador e instalar outro”, declarou à imprensa o diretor-executivo da Avast, Vincent Steckler.

O diretor técnico, Ondrej Vlcek, qualificou como um “pesadelo total em matéria de segurança” o fato de que cada vez mais consumidores usem aparelhos conectados à Internet.

Televisores, sistemas de áudio, máquinas de café e brinquedos estão entre os aparelhos vulneráveis, segundo ele.

O sistema Avast conta a cada mês com 444 milhões de usuários e previne cerca de 3,5 milhões de ataques de malwares e 500 milhões de visitas a sites nocivos.

Em fevereiro, as polícias alemã e britânica anunciaram a prisão de um britânico suspeito de iniciar um ciberataque contra os roteadores das casas geridas pela operadora Deutsche Telekom. Este último bloqueou em novembro de 2016 o acesso à Internet de um milhão de lares alemães.

Steckler também indicou que a companhia fez recentemente uma demonstração dos perigos deste tipo de ataque, hackeando um roteador em uma apresentação nos Estados Unidos.

O Avast modificou o firmware (um software interno) de um roteador para controlar um televisor, fazendo-o repetir muitas vezes o discurso do ex-presidente americano Barack Obama.

“Ainda que desliguem o televisor, o roteador o ligará e o usuário não poderá ver mais nada além do discurso de Obama”, observou Steckler. Nesse sentido, acrescentou que, caso isto ocorra, o hacker poderá exigir um resgate.

A segurança informática se converteu em um tema muito atual na sexta-feira, após a onda de ciberataques simultâneos de alcance mundial e que atingiu mais de 300.000 computadores.

https://br.noticias.yahoo.com/empresa-antiv%C3%ADrus-preocupada-eletrodom%C3%A9sticos-conectados-%C3%A0-internet-192333852–finance.html

Revelações que sacudiram o Brasil desencadeiam ações do STF e da PF

Edição do dia 18/05/2017

18/05/2017 14h37 – Atualizado em 18/05/2017 15h00

Camila BonfimBrasília

Os depoimentos dos donos do grupo JBS, que fazem parte de um acordo de delação premiada e que foram divulgados pelo colunista Lauro Jardim, no site do jornal O Globo, desencadearam ações do Supremo Tribunal Federal e uma operação da Polícia Federal, que começou na manhã desta quinta-feira.
O STF autorizou o afastamento de Aécio Neves, do PSDB, da função de senador e a operação Pátmos prendeu oito pessoas, entre elas a irmã e o primo de Aécio Neves, e um procurador da República.
A delação dos executivos da JBS já está homologada pelo Supremo Tribunal Federal e essa operação que foi executada pela Polícia Federal foi deflagrada 10 horas depois que vieram à tona as revelações feitas pelo jornal O Globo.
A irmã de Aécio Neves, Andrea Neves, foi presa na operação. Ela é suspeita, segundo as investigações, de atuar como intermediária do Senador, de ter solicitado R$ 2 milhões ao dono da JBS, Joesley Batista. O empresário teria dito que queria conversar pessoalmente com o Senador e foi essa conversa é que foi gravada.
Rodrigo Janot, procurador geral da República, pediu a prisão de Aécio Neves e também do deputado Rodrigo Rocha Loures. O ministro Edson Fachin negou a prisão, mas autorizou buscas e também o afastamento dos cargos, ou seja, dos mandatos de senador e de deputado federal.
O procurador Ângelo Goulart, do Ministério Público, também foi preso nessa operação por ser suspeito de atrapalhar a negociação dos delatores, os executivos da JBS.
Prisão de Andrea Neves, irmã de Aécio, é o fato mais marcante da manhã:

http://g1.globo.com/jornal-hoje/noticia/2017/05/revelacoes-que-sacudiram-o-brasil-desencadeiam-acoes-do-stf-e-da-pf.html